Pode alguém trazer uma mensagem do qual não seja o portador?

Sempre que mencionamos a palavra ordem, geralmente ligamos seu significado a um mandamento direto, baseado numa hierarquia institucional.

Podemos também pensar em organização, mas a organização não surtirá o efeito desejado

enquanto não houver ordem.



Como sempre, a ideia é trazer clareza sobre os temas propostos, de maneira que, seja qual for o nível intelectual do leitor ele possa compreender, absorver o conceito na prática e a partir daí, fazer própria a virtude exposta; e só assim podemos promover cultura, ou seja, quando por compreensão agimos em direção as virtudes, aquelas que são na verdade, nossa esperança de um mundo melhor.

Para além dos conceitos básicos é preciso apresentar o conceito original; original no sentido de definição, pois conceitos existem vários.

Vou tomar como exemplo o conceito grego.

Para os Gregos, em qualquer época, "ORDEM"

É uma lei da Natureza, uma inteligência que rege a organização de todo o Cosmos. Exemplo: existe a trilogia, Theos, Caos, Cosmos.

Ainda que organizados só promovem uma ação concreta quando entram em ordem, e é a seguinte: Caos, é a matéria sem forma.

Theos, é a inteligência que vai promover a ordem e gerar o Cosmos. Ou seja, o universo é o resultado da ordem na matéria.

Um organismo é organizado, mas a ordem lhe dará vida.

Não esqueçamos que a “Ordem”, é uma lei universal, e como toda a lei, se infrigimos, temos consequências.

Imagine se o Universo, embora organizado perdesse sua ordem?

Imagine teu corpo, embora organizado perdesse sua ordem?

O coração agindo como fígado, os rins agindo como pulmão, o nariz fazendo o papel dos olhos e

assim nessa desordem.

Podemos sobreviver nessa vida, sem ordem?

Espero que tenha ficado claro, pois é importante saber que tudo o que há no universo é matéria.

Nos nossos dias, o que mais se deseja é trazer a ordem tão presente na civilização ocidental dês de

os tempos áureos.

Agora pensemos...

Quem é o agente, seja da ordem ou do caos?

Sim, somos nós enquanto cidadãos.

Tenho reparado em muitos discursos o quanto se fala em totalitarismo e afins como culpados por todas as nossas mazelas, mas precisamos perguntar se foram eles que trouxeram nossa civilização até aqui ou fomos nós que por interesses outros, abandonamos nossos pilares?

Se negociamos nossos tesouros com o inimigo é inevitável sermos os mais prejudicados, pois sem as bases, ficamos vulneráveis, e estamos ou não vulneráveis a todo tipo de totalitarismo nesse momento?

Entre os conservadores, vemos um despertar mais intuitivo que consciente.

Muitos querem de volta seus valores como uma criança que perdeu seu brinquedo e agora quer tomar a força o brinquedo do amigo por que lhe parece seu.

É preciso ordenar nosso ativismo através de pequenas militâncias, sim, como um processo educacional.

É preciso reconhecer no quê e quando erramos, para a partir daí, pormos ordem e organizar a retomada dos nossos valores.

E, porque é importante entender sobre a “Ordem”?

Existe uma frase famosa que diz: “Se quer mudar o mundo, comece arrumando sua cama.”

Ela foi dita em uma palestra pelo ex Almirante da Marinha Americana, Willian Mc Craven, e está de acordo com o que dizem os livros sagrados (todos) e todos os filósofos clássicos.

Em resumo, a mudança, seja ela qual for deve começar em nós.

Nós devemos ser os portadores dos princípios outrora negociados e não importa por quem ou quando, o que importa é que precisamos dar abrigo às virtudes que precisam se manifestar neste vácuo deixado por sua falta, causando a desordem estabelecida em nossos dias, e isso é inegociável.

Assumamos nossas posições e façamos isso com maturidade, perseverança e constância; vamos, palmo a palmo num tempo talvez bem maior que levamos pra chegar até este estado decadente, recuperar nosso tesouro.

Isso faremos sem temor das perdas temporárias e inevitáveis, mas com a honra de quem traz sobre os ombros a decisão de fazer valer nossos valores, como nossos antepassados outrora lutaram para fincálos

em nossos corações.

Que tal começar ordenando nossas próprias vidas?

Cuidando do que pensamos, falamos, assistimos, ouvimos, etc...

Quando entramos em contato com esta ordem, temos força moral para trazer de volta o que nos tiraram e sem fugir da nossa responsabilidade, reconheçamos que sim, negociamos...

A pergunta que não quer calar é:

Como posso trazer esta ordem para minha vida e consequente para nossa nação?

A Bíblia Sagrada nos dá uma dica em Mateus 6:10.

Está escrito: venha a nós o teu reino, seja feita a tua vontade...

Comecemos trazendo os ideais de Deus (não os da religião) para nossas vidas e seremos respaldados por valores que nem o implacável tempo conseguiu destruir.


Reflexão: A ordem que quero no mundo, devo estabelecer primeiro em mim.


Que Deus abençoe nossa jornada!